cordeiro de freitas (Antônio José Cordeiro de Freitas)

Mensagens/Livros/Pensamentos/Poemas/Documentários/Homenagens/Vídeos

PRAÇA TUBAL VILELA – UBERLÂNDIA – MG

3 Comentários

PRAÇA TUBAL VILELA

PRAÇA TUBAL VILELA

PRAÇA TUBAL VILELA

PRAÇA TUBAL VILELA

PRAÇA TUBAL VILELA

PRAÇA TUBAL VILELA

PRAÇA TUBAL VILELA

PRAÇA TUBAL VILELA

PRAÇA TUBAL VILELA- fonte luminosa

PRAÇA TUBAL VILELA- fonte luminosa

PRAÇA TUBAL VILELA

PRAÇA TUBAL VILELA

PRAÇA TUBAL VILELA


Os registros históricos nos ajudam a entender como a praça Tubal Vilela foi sendo, ao longo das décadas, construída, reformada, modernizada e apropriada de formas distintas pelos diversos segmentos sociais.

No final do século XIX, nos primeiros anos de emancipação da cidade, foi elaborado um planejamento urbano, no qual, largas e simétricas avenidas foram traçadas em contraponto às pequeninas e tortuosas ruas da “cidade antiga”, materializando assim o discurso do que denominaram de “cidade nova”. Neste “tabuleiro em xadrez”, o espaço destinado à construção de uma praça ficou definido, apesar de ter sido inicialmente utilizado como campo de futebol.

A história nacional nos permite compreender os acontecimentos locais. Neste sentido o espaço urbano se revela como permanente suporte de memória desta cidade. Assim sendo, o primeiro nome que a praça recebeu foi Praça da República, justificando o própriomomento histórico no qual ela foi concebida.

Entre os anos de 1912 – 1922, a cidade teve como administrador o Sr. João Severiano Rodrigues da Cunha que para embelezá-la plantou umas oito ou dez moitas de bambu gigante, que cresceram espantosamente e davam sombra magnífica em qualquer hora do dia e agasalho a milhares de passarinhos que sonorizavam as madrugadas da primavera e do verão. A praça continuou a ser oficialmente praça da República, mas o povo passou a denominá-la de Praça dos Bambus.

A praça dos Bambus permaneceu, embora o prefeito Vasco Giffoni já tenha, em 1938, confiado ao técnico Júlio Steinmetz o trabalho de execução de uma planta para a construção de um novo jardim. O jardim ficou pronto, e, em plena era getuliana, a praça engalanada recebeu o batismo de Praça Benedito Valadares, como tributo de “reconhecimento” ao interventor. A sucessão dos acontecimentos nos levam ao ano de 1945 e ao fim da ditadura, quando então a praça volta a ter o nome de Praça da República.

A praça teve muitos nomes, em 1958  ela é denominada de Praça Tubal Vilela, em homenagem ao administrador municipal do início dos anos 50. No início da década de 60, passa por outro remodelamento, mas com uma nova concepção, é projetada para ser um espaço de convivência e de manifestações políticas e culturais pelo engenheiro e arquiteto João Jorge Coury. Esta sucessão de nomes revela o próprio contexto histórico em que estão inseridos, mas, não somente os nomes foram mudando, mas também, e principalmente, a forma como as pessoas se apropriaram deste espaço neste processo. Durante os anos em que a praça foi sendo renomeada, era considerada um lugar privilegiado para se ouvir as retretas da banda, a fonte luminosa, para footing, os passeios nos fins da tarde, os encontros, a pipoca, , o lago dos patos e peixes, ou o caminho do cinema,  da missa e do colégio.

Atualmente, a praça continua sendo um ponto de referência para a cidade, porém, guarda pouco deste seu significado de outrora. A cidade cresceu e, conseqüentemente, a forma de apropriar dos seus espaços, mas, sua história permanece registrada nos documentos e na memória dos moradores que por décadas acompanham o contínuo crescimento da cidade.

Praça da República década de 20

Praça da República década de 20

Praça da República na década de 1930, atual Praça Tubal Vilela. A esquerda da foto o Grupo Escolar Júlio Bueno Brandão construído em 1914.j

Praça da República na década de 1930, atual Praça Tubal Vilela. A esquerda da foto o Grupo Escolar Júlio Bueno Brandão construído em 1914.j

Praça Tubal Vilela 1938

Praça Tubal Vilela 1938

Praça Tubal Vilela no começo de 1960.

Praça Tubal Vilela no começo de 1960.

Praça Tubal Vilela - década de 80

Praça Tubal Vilela – década de 80


PRAÇA TUBAL VILELA
Fonte: http://www.uberlandia.mg.gov.br/?pagina=secretariasOrgaos&s=23&pg=325 PRAÇA TUBAL VILELA – 16/08/2013

UBERLÂNDIA – MG

Fotos com um celular de baixa qualidade, operador amador, mas o local para mim, o coração de Uberlândia, cenário de anos e anos de acontecimentos, uma história que cada um de seus frequentadores pode contar à sua maneira. Na minha juventude, pude estar ali muito, passar por ali sempre, desde pequeno para brincar,  mais jovem para paquerar, ou assentar com conhecidos para trocar idéias e até mesmo namorar. A fonte luminosa um esplendor na época, à noite admirávamos as águas bailando com diversos formatos acompanhavam as grandes orquestras dando o ritmo da música,  mas marcantes para mim ficaram as músicas de: Ray Conniff, Paul Muriat, Beatles, Roberto Carlos etc. e ficávamos ali assentados deslumbrados com a fantástica harmonia do som com o bailado da música, ou em pé próximos da fonte torcendo para que o vento trouxesse para nossos corpos os pingos d’água.

PRAÇA TUBAL VILELA - FONTE LUMINOSA

PRAÇA TUBAL VILELA – FONTE LUMINOSA

EXEMPLOS DE ORQUESTRAS, CONJUNTO E CANTOR QUE SUAS MÚSICAS TOCAVAM NA FONTE LUMINOSA.

Ray Conniff

Paul Muriat

Beatles

Roberto Carlos

Grandes momentos, inesquecíveis momentos, amigos, conhecidos, que ficaram no tempo, alguns ainda reencontro, mas muitos nunca mais os vi. A Matriz, a igreja onde frequentei quando jovem, fui coroinha, ator em pequenos espetáculos religiosos, enfim um local que pude conviver com bons ensinamentos e conhecer muitas pessoas. Uma pessoa que jamais esqueci foi o GUARDA ANTÔNIO, uma criatura que todos admiravam, sempre com sua farda ali atencioso e brincalhão principalmente com as crianças, uma criatura que todos gostavam.

GUARDA ANTÔNIO

GUARDA ANTÔNIO

Foto retirada do álbum de figurinhas Uberlândia de George Thomaz.

BIOFRAFIA GUARDA ANTÔNIO

Antônio Rodrigues do Nascimento, ou simplesmente GUARDA ANTÔNIO, como ficou conhecido, e ainda é lembrado por aqueles que tiveram a oportunidade de conviver com ele quando estudante das escolas centrais de Uberlândia, tais como Escola Estadual Bueno Brandão e Instituto Rio Branco, onde chegou a atuar como Guarda Municipal e controlar o trânsito na entrada e saída dos alunos destas escolas.Nasceu na vizinha cidade de Estrela do Sul, em 10 de março de 1913, sendo filho de Miguel Rodrigues Nascimento e Adelina Assunção Prado. Foi casado com Dona Zulmira Rocha do nascimento. Fez parte de uma família de 10 irmãos, quais são: Ana Lourdes do Prado, Aparecida Prado, Carmélia Mendes Prado, Carmelita Alves Prado, Francisca Prado, Ires do Céu Claro, Lucio Prado e Terezinha Vicente do Prado.Estudou no Grupo Escolar Augusto César, frequentou o Ensino Noturno, entrou na Guarda Municipal em 1973. Criou por iniciativa própria o Serviço de Bem Estar do Menor de Uberlândia, por volta de 1940, quando era prefeito da cidade Vasco Gifoni. Tendo sido convocado para servir na Força Expedicionária Brasileira em 1942, serviu na campanha da África, quando ficou responsável pelas crianças em um abrigo antiaéreo.Foi agraciado com a medalha “Augusto César” em 1988, e também com a medalha de “Honra ao Mérito” pela Escola Estadual Bueno Brandão, pelos serviços prestados às crianças. Faleceu nesta cidade, no dia 10 de junho de 1999.

Fonte: Escola Municipal Guarda Antônio Rodrigues do Nascimento. (http://www5.uberlandia.mg.gov.br/pmueduca/ecp/comunidade.do?evento=portlet&pIdPlc=ecpTaxonomiaMenuPortal&app=guarda_antonio&idConteudo=7599&lang=pt_BR&pg=5081&taxp=0&) Os grandes momentos que apreciávamos os espetáculos de nossa querida banda municipal, maestro e músicos tornavam nossas vidas encantada, sempre apresentações maravilhosas, ( Youtube – Sérgio Evangelista

A pipoca, o algodão doce, éramos vidas que curtiam a liberdade e aproveitávamos ao máximo a praça, brincávamos, e sempre encontrávamos nossos amigos para conversas e planejar passeios e diversão.

Abaixo a foto de Sebastião, pipoqueiro que trabalha a mais de 30 anos na praça da igreja do Rosário, uma pessoa que conheço e respeito muito,  construiu sua vida e formou sua família vendendo pipoca, pude conversar muitas vezes com ele, e ouvir suas histórias vividas ali na porta da igreja, dá um livro, e o escolhi para representar esta classe que quando frequentei a Praça Tubal Vilela sempre recebi atenção e pipoca deliciosa.

PIPOQUEIRO SEBASTIÃO -

pessoa PIPOQUEIRO SEBASTIÃO –

A praça para mim sempre foi caminho para as sessões de cinema fosse no cine teatro Uberlândia, Cine avenida, cine It, cine Regente, como eu morava na rua Duque de Caxias abaixo da Rio Branco no bairro Lídice, para todos os lugares que ia era obrigatório passar pela praça, e quando comecei a trabalhar, sempre passei ali, indo para o Bco. Comércio e Indústria de Minas Gerais lá no inicio da Afonso Pena, onde hoje funciona o Unibanco.

Em

https://cordeirodefreitas.files.wordpress.com/2012/12/a-vida-como-ela-era-crc3b4nicas-de-nossa-juventude.pdf ,

livro que nossa turma dos anos 70 escreveu para contar um pouco do que fazíamos, duas histórias registram um pouco de nossas peripécias justamente na Praça Tubal Vilela, uma intitulada ” Grasnar ao amanhecer” com o Beto e o Nelson que roubaram um ganso de madrugada e posteriormente depois de muitas ocorrências foram obrigados pelo inesquecível Sr. Natanael pai do Beto a devolver o coitadinho para a praça.

5- GRASNAR AO AMANHECER. (Beto)

Tá certo, segunda-feira já é um dia que ninguém gosta muito. Quando se tem dezessete anos e a primeira aula, ás sete horas da manhã, é de educação física, as coisas pioram um pouco. Agora, junte a isso ser acordado às cinco, com o dia ainda escuro, levando uma enorme bronca do pai, e sem entender porque…Ao mesmo tempo em que escutava os gritos – “levanta Humberto”- escutava também todos os cachorros do Bairro Lídice latindo e um outro barulho vindo do quintal de minha casa, alto, muito alto, esquisito, parecia que a besta fugira do inferno. Na medida em que aos poucos ia acordando, também ia me lembrando… Sexta-feira anterior, à noite, fomos – boa parte da turma – em uma festa no Bairro Saraiva. Estávamos naquela fase em que havíamos nos especializado em pequenos furtos. Roubávamos caqui no bar do Seu Antônio, perfume em festa de aniversário, lingüiça pela porta de grades do açougue usando uma engenhoca que construímos com pau de vassoura e arame… Enfim, roubávamos tudo que se apresentasse com alguma facilidade.Não sei de quem foi a idéia, provavelmente do Nelson, mas resolvemos roubar um dos gansos que habitavam a praça Tubal Vilela, a mais central de Uberlândia. Seria um belo prato para a noite de sábado.

Assim fizemos, afanamos o bicho que era grande, o maior da praça. Todos revezavam em carregá-lo enquanto descíamos a Duque de Caxias, menos eu que, confesso, morria de medo de levar uma bicada. Pelo caminho discutíamos… Onde deixar o ganso até a noite posterior, quando então iríamos comê-lo? Idéia… nenhuma, até que chegamos na altura de minha casa e todos foram unânimes, aquele quintal de terra totalmente isolado por um muro era o local ideal. Da rua mesmo levantamos a ave e jogamos do outro lado e fomos cada um para sua casa, bêbados, sonolentos, irresponsáveis e felizes como se é aos dezessete anos. Até hoje não sei que estranha amnésia foi aquela: efeito do álcool ou coisas mais interessantes aconteceram no sábado e domingo? O fato é que esquecemos o pobre do ganso… sem comer, sem beber água … até na segunda de manhã. Levantei antes que meu pai ficasse ainda mais furioso. Pela janela do meu quarto que dava para a rua observei… O guarda-noite apitando, vários vizinhos de pijama, um de cueca mesmo. Todos querendo saber de onde vinham aqueles grunhidos, latidos, ou … qual o nome do som emitido pelos gansos? … GRASNAR … (só hoje descobri pela Internet). Sob as ordens de meu pai, fui até o quintal e tive que apanhar aquele bicho que calado já me metia medo, imaginem andando de um lado para o outro berrando, berrando… Meu pai abriu a porta que dava para a garagem e entrei escondido no carro, um galaxie azul, um verdadeiro navio. O ganso merecia… Não sei como pudemos imaginar que os vizinhos não perceberiam que éramos nós os portadores da besta enfurecida, mas o fato que assim, escondendo o ganso, fomos até as imediações da praça onde o deixamos e, imagino, logo tenha voltado para os seus pares que já deviam estar com saudades do quase finado parente.

 E a outra aconteceu comigo nas histórias das apostas que fazíamos naquela época intitulada ” Desmaios”, inesquecíveis momentos de muita brincadeira e façanhas corajosas.

DESMAIOS.

(Zezé) A casa do Sr. Nataniel ficava na esquina e possuía uma garagem com uma rampa em declive sinuosa, eu ficava lá em cima no nível do automóvel estacionado, o Magela e mais uma ou duas pessoas ficavam no pé da rampa, quando se aproximava alguém mais velho, principalmente velhinhas me avisavam, e quando elas chegavam ali na cara da garagem, eu descia estrebuchando lá de cima, E era um Deus nos acuda, essas velhas largavam as sombrinhas e me acudia, nossa era um pandepá. O negócio cresceu, o espetáculo precisava de um palco maior, foi quando desafiei a turma numa aposta de que estrebucharia na Praça Tubal Vilela ao término da missa das nove, e não deu outra, foi um show, aglomeraram ao meu redor e eu ali tremendo, batendo os dentes e repuxando os olhos, sucesso! No domingo seguinte seria a coroação, apostava todas as minhas fichas no espetáculo, ai quando estava apresentando com a maior crença de sucesso, 03 ou 04 adultos que perceberam e viram no domingo anterior, logo me arrumaram um belo remédio, me agarraram e disseram que cosquinha me sararia, e quase me mataram de tanto rir, acho que Deus me perdoou bem ali na frente de sua casa, pois paguei um preço alto, mas dei o meu espetáculo e ganhei a aposta!

Um momento inesquecível foi a conquista da copa de 1970, a comemoração se concentrou ali, muita alegria, fogos, e um banho maravilhoso na fonte luminosa. Outra grande comemoração foi no dia da festa de comemoração da passagem para a Universidade, depois de um delicioso churrasco em uma fazenda, fechamos o dia de glória na praça, muita alegria e comemoração.

ESCOLA ESTADUAL BUENO BRANDÃO

ESCOLA ESTADUAL BUENO BRANDÃO

ESCOLA ESTADUAL BUENO BRANDÃO

ESCOLA ESTADUAL BUENO BRANDÃO

A foto acima é da Escola Estadual Bueno Brandão, colégio tradicional de nossa cidade, onde a praça sempre foi a concentração dos alunos antes de iniciarem suas aulas, e depois das aulas os encontros do dia a dia. Pude com colegas participar neste colégio de várias partidas de futebol, e quando estudei no grupo Escolar Coronel Carneiro, lembro que havia rivalidade com os alunos de lá e a frase que mais ouvimos na época foi : ” Quem estuda no Coronel Carneiro entra burro e sai leiteiro”, e retribuíamos com: -“Quem estuda no Bueno Brandão entra burro e sai ladrão” . Uma maravilhosa escola com grandes educadores, que formaram muitas pessoas para ajudar Uberlândia a crescer.

HOTEL PRESIDENTE

HOTEL PRESIDENTE

HOTEL PRESIDENTE

HOTEL PRESIDENTE

HOTEL PRESIDENTE

HOTEL PRESIDENTE

Hotel Presidente, situado ali ao lado da Praça Tubal Vilela, imponente, grandioso, onde grandes personalidades ali se hospedaram e hospedam até hoje, onde no piso do passeio ali ao lado do Garibald’s funcionou o Bar Presidente, local muito bem frequentado onde as noites era muito agradáveis, quando aos sábados era servida uma deliciosa feijoada, e o bar do terraço, local maravilhoso para curtir a noite e a vista da cidade com os amigos tomando uma cerveja geladinha, sempre foi um orgulho para todos nós, e a história de Uberlândia, como a da Praça Tubal Vilela, sempre terão como companhia a história do nosso querido e sempre admirado HOTEL PRESIDENTE.

As duas fotos abaixo demonstram o imóvel que no passado foi ocupado pelo inesquecível GARIBALD’S RESTAURANTE e hoje é ocupado por uma empresa do comércio, e ao lado podemos ver uma porta de correr que pertence ao HOTEL PRESIDENTE, e que nela existiu um bar famosíssimo o BAR PRESIDENTE.

GARIBALD'S RESTAURANTE

GARIBALD’S RESTAURANTE

PRÉDIO HOJE -  GARIBALD'S

PRÉDIO HOJE – GARIBALD’S

SABIÁ - ALAOR DE OLIVEIRA

SABIÁ – ALAOR DE OLIVEIRA

O vídeo acima é parte de uma entrevista feita por Celso Machado no programa UBERLÂNDIA DE ONTEM E SEMPRE, da CLOSE COMUNICAÇÃO, o que estou postando aqui é apenas o conteúdo referente à fala do Sabiá para o Celso do período que ele trabalhou no Garibald’s. Estou preparando uma homenagem para o Sabiá exclusivamente e este vídeo será postado na integra.

Os garçons sempre foram a alma de um bar ou restaurante, e em Uberlândia, muitos sempre foram especiais, mas quero deixar aqui a lembrança de alguém que trabalhou muitos anos no Garibald’s e que até hoje trabalha como garçom, querido e admirado por todos, só tenho maravilhosas lembranças dele, o SABIÁ, Alaor de Oliveira, uma pessoa que mereceu e sempre merecerá o meu respeito.

Este registro é para manter viva a lembrança de um local que foi muito curtido por muitos, eu principalmente só tenho lembranças maravilhosas, destes lugares, onde nossos momentos de lazer eram desfrutados com muita alegria, todas as pessoas que ali frequentavam possuíam a satisfação de viver, divertir, extravasar e buscar construir momentos felizes.

Uma lembrança engraçadíssima foi quando comprei uma bicicleta de corrida e desci para o Garibald’s, em uma mesa cheia de conhecidos estava o meu querido e inesquecível professor na faculdade de Economia, Newton , que depois de algum tempo e alguns chopes pediu a bicicleta emprestada só para dar uma voltinha na praça, e quando voltou estava dando gargalhadas, pois havia batido em uma aluna na esquina da Afonso Pena com a Duque de caxias.

Outra lembrança foi quando depois de um final de semana de presença no Garibald’s, na segunda-feira o grande SABIÁ, garçom por demais conhecido na cidade desde o bar da mineira, apareceu em minha casa com um cheque que dei sem assinatura, enfim, sempre disse que ser amigo de garçom é nunca estar fora do ninho.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS SOBRE A PRAÇA TUBAL VILELA – 12/08/2013

Fonte luminosa da Praça Tubal Vilela passa por reparos e será reativada

A fonte luminosa da praça Tubal Vilela, na região central de Uberlândia, está sendo revitalizada pela Prefeitura de Uberlândia. Otrabalho, assim como os demais reparos que já foram feitos em toda a praça, fazem parte do projeto Praças e Canteiros, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, e que está revitalizando os espaços públicos na região central e nos demais bairros do município. Por meio deste projeto já foram revitalizadas as praças Adolfo Fonseca, Cícero Macedo, Clarimundo Carneiro, Coronel Carneiro, Ladário Teixeira, Luiz de Freitas, e a praça Luz e Caridade.

Projetada por Walter da Silva Talneirão, quando também foi reconstruída toda Praça, na administração do prefeito Geraldo Motta Batista (Ladeira), em 1962. a fonte luminosa estava desativada. A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos está fazendo reparos nas bombas hidráulicas, bicos injetores, troca de lâmpadas e reforma dos aparelhos de som. “Nosso objetivo é trazer de volta a dança das águas que tanto encantou crianças, hoje já bem crescidas. Com certeza este espaço voltará a cumprir seu papel, concretizando um dos principais objetivos do nosso projeto, que é devolver o encantamento à praça e propiciar aos nossos jovens e crianças de hoje um espaço agradável e com ferramentas encantadoras, como a fonte, que em breve voltará a funcionar”, afirmou o secretário municipal de Serviços Urbanos, Eduardo Afonso.

Assim como as demais praças que já receberam revitalização, a praça Tubal Vilela recebeu serviços como recomposição do paisagismo, plantio de mudas de folhas e flores como agapantos, itioras, marantas. O meio fio foi recuperado melhorando a acessibilidade, o piso onde haviam buracos também foi reparado e os bancos que estavam quebrados foram trocados. Também foram instaladas lixeiras e a iluminação foi reformada. As pedras que compõem o piso da praça também receberam uma limpeza geral. Os serviços são executados por equipes da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos e da empresa Limpebras, com apoio da Secretaria de Meio Ambiente.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS SOBRE A PRAÇA TUBAL VILELA E A FONTE LUMINOSA – 30/08/2013

Em visita hoje pela manhã à Praça Tubal Vilela, pude conversar com o Sr. Paulo Naves que confirmou sobre os trabalhos que estão sendo feitos na praça quanto à melhorias, manutenção e os últimos reparos na fonte luminosa, pude acompanhar o inicio da atividade da fonte e acompanhei por algum tempo, realmente ela está funcionando normalmente. e com música, e hoje o repertório foi chorinho e outras músicas de grandes orquestras.

Os horários de funcionamento da fonte são na parte da manhã das 9 as 11 hs, a tarde das 14 as 16 hs, e a noite das 18 as 21hs com iluminação.

É importante que saibamos aproveitar esta preciosa fonte de lazer, as famílias precisam comparecer e levar seus filhos, lá sem dúvida é um cartão postal de nossa cidade que está completando neste dia 31/08 125 anos.

Parabéns Uberlândia, parabéns praça Tubal Vilela, gerações que por ali passaram jamais esquecem e que as próximas possam desfrutar deste recanto maravilhoso!

PRAÇA TUBAL VILELA – REVITALIZADA- 06/09/2013

Nesta tarde noite de 06/09/2013, a Prefeitura Municipal de Uberlândia, entregou para a cidade, nossa querida Praça Tubal Vilela, toda revitalizada, ela ficou muito bonita e acima de tudo a nossa maravilhosa fonte está encantando a todos, com o bailado de sua água acompanhando as músicas suaves e gostosas de grandes orquestras.

VÍDEO DE FOTOS

 

VÍDEO DAS FILMAGENS

Que sempre, nossos gestores públicos possam manter as nossas praças sempre belas, para que a população tenha nesse espaço público momentos de lazer com a família e amigos, principalmente as crianças possam divertir.

FONTE LUMINOSA – 22/05/2015

Natal luz – Praça Tubal Vilela – 05/12/2015

Obrigado Uberlândia!

Antônio José Cordeiro de Freitas

https://cordeirodefreitas.wordpress.com

Anúncios

3 pensamentos sobre “PRAÇA TUBAL VILELA – UBERLÂNDIA – MG

  1. Nossa Zezé!! Quantas lembranças! O guarda Antônio… A pipoca com molho do Seu Sebastião… divina!

  2. Que bacana Zeca!!!! contar a historia de um lugar lindo e importante para cidade como a Praça Tubal Vilela é ser apaixonado e bom de memoria. Parabéns!!!

  3. Tem de mostrar o Natal Luz, que acontece na cidade há dois anos e a praça Tubal Vilela fica linda

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s